O lado cinzento da mediunidade no espiritismo contemporâneo

Rizzini, Arnaldo e Herculano foram envolvidos na trama dos interesses do círculo dos adoradores de Chico Xavier.

Rizzini, Arnaldo e Herculano foram envolvidos na trama dos interesses do círculo dos adoradores de Chico Xavier.

Mensagens atribuídas a Rizzini, Herculano Pires e Arnaldo Rocha ridicularizam os médiuns, a mediunidade e a própria doutrina.

A morte física do médium Chico Xavier não levou para o outro plano da vida apenas o espírito; levou, também, o bom-senso e abriu espaço para que candidatos a homens de bem se cristalizassem numa nova loucura da atualidade: a de batalhar a todo custo para que o querido médium se transforme no deus do espiritismo, guia absoluto e indiscutível da doutrina, atribuindo-lhe a supremacia do pensamento de um movimento que dia a dia rola ladeira abaixo sob o manto do religiosismo exacerbado.

Macena, um jornalista de pouco equilíbrio e bastante astúcia, tanto que se tornou presidente de uma associação médico-espírita, escancarou a porteira da crença sem base científica de que Chico era Kardec. Alguns seguiram pela obscura estrada que se abriu, mas foram perdendo o fôlego e pararam. Aí surgiu a figura controvertida de Marlene Nobre e do posto de comando da Folha Espírita, jornal que ela dirigia, fez publicar página inteira defendendo a estapafúrdia ideia, numa entrevista que ela deu-se a si mesma, para difundir a mensagem de um médium de pouca expressão enquanto médium, na qual um suposto Hilário Silva “confirmava” ter Chico sido no passado próximo Allan Kardec, além de pôr em destaque um livreto ingênuo e lacrimoso escrito por um chiquista de carteirinha, em que dizia, entre outras bobagens, que Chico era Kardec e ninguém, ninguém mesmo, poderia tirar essa crença do seu cérebro de sinapses místicas.

Daí para frente, a massa desandou. Não foi suficiente algumas personalidades expressivas do movimento virem a público para confrontar as ideias da então presidente da AME-Brasil com fatos e argumentos que desmontavam a farsa. Marlene, médica, viúva de um conceituado político, não quis saber de responder à crítica que apontava para a falta de seriedade dos argumentos e sua distância abissal das provas científicas. Preferiu retorquir com um texto choroso e repetitivo. Manteve pérolas do nonsense como a do argumento de que o casamento de Kardec com Amelie era apenas formal, sem intimidades, algo parecido com o pensamento dos roustainguistas, que afirmam que Jesus não teve corpo carnal, só aparente.

Chico já não está mais presente para se manifestar. Mas isso há muito deixou de ser importante, uma vez que os defensores da reencarnação de Kardec na pele de Chico tomaram imediata providência para abrir uma outra porteira, a da mediunidade descontrolada, sem mesmo perceber o estridente ruído da madeira apodrecida, e fazer desfilar por ali, um após outro, espíritos escolhidos a dedo, dentre eles o próprio médium mineiro, sem sequer dar ouvidos ao suposto código que Chico teria entregue a três de seus fiéis colaboradores. Registre-se, nenhum desses três até hoje deu aval às mensagens que Chico teria enviado.

Médiuns, cuja presença ao seu lado o Chico proibira por razões que se desconhece, passaram a dar mensagens com a “autoria” a ele atribuída, como o faz ainda Carlos Bacceli, que já havia sido exposto ao público mais sério por difundir outros textos de autoria duvidosa de espíritas conceituados. Para publicar em primeira mão, Bacceli quase não esperou o corpo do médium mineiro sequer esfriar.

Atualmente, nossas caixas postais vêm sendo inundadas por correspondências portadoras de mensagens ditas mediúnicas que revelam a “conversão” pós túmulo de pessoas que antes combateram a insana vontade de alguns de querer “provar” que Chico fora Kardec. Entre aqueles que formam o que denomino círculo dos adoradores de Chico está o português atualmente radicado no Brasil, de nome Nuno Emanuel, cuja única função entre nós parece ser basicamente a de fomentar diuturnamente a crença. É ele, neste affaire, secundado pelo brasileiro que também se diz médium, Geraldo Lemos Neto, e utiliza-se das redes sociais para sua propaganda, além do site de uma editora ligada a este Geraldo, site que se tornou quase que inteiramente voltado à difusão e defesa da controversa ideia. Neste endereço: http://www.vinhadeluz.com.br/site/noticias.php

Numa ação semelhante à praticada pela Igreja Católica no passado, que mandava seus bispos dar a extrema unção a personalidades adversárias no seu leito de morte, para depois proclamar a sua conversão, os componentes do círculo dos adoradores de Chico andam à cata de mensagens nas quais revelam que seus supostos autores espirituais, todos eles, em vida, contrários à ideia de Chico-Kardec prontamente se arrependeram ao aportar no outro plano e agora a defendem.

Nenhum deles percebe o ridículo dessas mensagens, protegidos que estão pela capa do nonsense, e as tomam como verdade para balançar a bandeira da universalidade do ensino dos espíritos, o que prova a venda presente nos seus olhos a impedir o uso da razão.

Por médiuns pouco ou nada conhecidos, sem lastro na produção mediúnica, apresentam mensagens absurdas com a autoria, entre outros, de Jorge Rizzini, Herculano Pires e Arnaldo Rocha, a dizer que mudaram de ideia rapidamente no outro plano da vida. Rizzini aparece na forma poética, em redondilha maior (versos em sete sílabas), ele que não era poeta e não escrevia poesia, mas fora mestre na escritura de contos, é apresentado – pasmem! – por um poema ingênuo de rimas absolutamente pobres, coisa que, vivo e médium, não permitiria a nenhum espírito comunicante, fosse qual fosse.

Herculano Pires, este, sim, poeta de mão cheia, aparece também “confessando” seu suposto erro em vida, mas a poesia em que revela a mudança está anos luz de distância da qualidade dos poemas que em vida escreveu. Pois bem, o médium aqui é irmão carnal daquele que “psicografou” Rizzini e ambos integram o círculo dos chiquistas. Até mesmo o pai desses médiuns foi por um deles psicografado, a defender a mesma tese, o que mostra à saciedade o quão contaminado está o ambiente mediúnico desses intermediários do além (ou do aquém?).

São corajosos esses médiuns e absurdamente ridículos os que os divulgam e aplaudem, pois não levam em consideração a mais simples observação doutrinária de que as mensagens mediúnicas, quando não primam pelo estilo, devem primar pelo conteúdo.

Pois bem, não satisfeitos com essas pérolas de além-túmulo, apresentam outras, como as atribuídas a Arnaldo Rocha, ele mesmo, o amigo verdadeiro e não imposto de Chico Xavier e viúvo de Meimei, que se opôs com veemência à campanha de endeusamento de Chico e desenrolou extensa relação de possíveis reencarnações dele, nenhuma como Kardec, é agora jogado na fogueira das paixões humanas como alguém também arrependido de não ter “visto” Kardec no corpo do mineiro de Pedro Leopoldo. Espantosamente, menos de cinco meses após sua desencarnação! Míope antes, Arnaldo agora toma emprestado os olhos dos chiquistas do lado de cá para fugir deste fogo que consome e produz cinzas.

Como diria Rizzini, não seremos ingênuos e nem pretenciosos a ponto de achar que vamos deter essa onda insana de mitificação idólatra do Chico, mas é preciso denunciar essa doentia campanha que conduz a doutrina ao mais extremo dos polos da ridicularização. Se não for por nós mesmos, que seja por respeito ao autor da obra espírita que eleva a noção de espiritualidade ao Monte Ararat do bom-senso.

46 ideias sobre “O lado cinzento da mediunidade no espiritismo contemporâneo

  1. Publicaram no MENSAGEMESPÍRITA.COM.BR uma psicografia do médium Wagner Gomes atribuiída a Chico Xavier na qual assim comentei: “Em que pese o excelente conteúdo da mensagem ainda há muitas controvérsias e dúvidas quanto ao retorno de Chico Xavier através de suas psicografias e psicofonias… inclusive com a postura de sua voz envelhecida, rouca e dificultosa… O tempo dirá quanto à veracidade de tais comunicações…”. Só basta a ausência do código deixado cujo detendores jamais se pronunciaram para tornar no mínimo duvidosa a psicografia… Ou assim estaria Chico Xaiver brincando com a verdade de desencarnar… Pensemos Nisso!

  2. Excelente, Wilson!!!
    Preocupante o rumo do Espiritismo! Proliferam obras apócrifas que só fazem desacreditá-lo! Pelo menos ainda há pessoas como você que não se omitem e publicam suas opiniões que podem induzir as pessoas a pensarem… simplesmente pensarem!

  3. Parabens Wilson! Realmente, nesse contexto de religiosismos em que o movimento espírita se embrenhou, urge uma voz lúcida para o chamamento da racionalidade!

  4. Infelizmente pessoas tantas, não estão preocupadas com as consequências dessas desastrosas afirmativas. Primeiro lugar, por não terem a decência de se permitir estudar e preservar os conteúdos doutrinários do Espiritismo e em segundo lugar por se entregarem a um desvairado desequilíbrio espiritual. Assim sendo, devemos diuturnamente está atentos as investiduras dos que estão à espreita arquitetando a desvirtuação da Doutrina Espírita.

  5. Estas velhas discussões não acrescentam nada a Doutrina Espírita. Seja em sua divulgação ou na capitação de adeptos.
    Penso, que deveríamos gastar nossas energias, na construção pesquisa Mediúnica, aprofundarmos o Estudo da Consciência. Desta contribuiriamos muito mais, para o enriquecimento e divulgação da Doutrina Espírita. Muito boa crítica, como de costume, do Wilson Garcia.
    Falta lucidez no Movimento Espírita, não é de duvidar, que logo, logo apareça uma Mensagem Psicografada do Jaci Régis, afirmando que Chico era a reencarnação de Kardec. Rs…rs

  6. Excelente reflexão… Quando Espíritas se preocuparem em se conhecer, se aprofundar verdadeiramente nas “Obras da Codificação” verão que o Espiritismo deve seguir esclarecendo com base na razão e não no religionismo, alias, se se interessassem pela Ciência apresentada no Livro dos Médiuns constatariam para que serve a mediunidade, e todas essa tentativas do estrelato espírita cairiam. Tentam como disse Emmanuel transformar o ” nosso movimento bendito em um afloriégio literario.

  7. Parabéns pelo artigo, ele não somente toca nessa problemática, mas traz a tona um dos maiores problemas do espiritismo atual: a coerência e aceitação de médiuns diversos.

    É notório a baixa qualidade (e exigência) que se tem com médiuns e comunicações. Como acreditar piamente numa mensagem sem fazer um “crosscheck” com outros médiuns? Como aceitar mensagens de médiuns que não conseguem demonstrar efetivamente que estão sendo precisos em seus texto? (não fornecem nomes ou dados exatos sem que os ja tenham conhecidos) Assim até eu poderia (se não tivesse integridade ou absoluta certeza) de propagar mensagens ditas mediúnicas.

  8. Me congratulo com o Wilson Garcia pela excelência e a oportunidade do seu texto. Tudo isto é mesmo lamentável. Porém vemos como apenas uma consequência natural da luta desenfreada e sem limites de uma certa casa-mater que se arvora a representante exclusiva do Espiritismo, por delegação da Providência. Por acaso alguém se lembra das supostas mensagens do próprio Allan Kardec renunciando da sua postura serena e sábia de desaprovação das fantasias roustanguistas sobre Jesus? Pois bem, quem é que tem se encarregado de disseminar essas sandices no seio do movimento Espírita?

  9. É sempre bom ler artigos como este, que nos fazem parar um pouco e pensar qual caminho estamos seguindo.
    Um forte abraço.

  10. Acredito que o artigo apenas se perde na emoção, ao chamar as pessoas que defendem a reencarnação de Chico como Kardec de ridículas e entre outros tons ( há começar pelo título).
    Sou a favor da posição de que chico não é kardece, mas o Evangelho nos ensina a ser tolerantes. Tantas outras palavras poderiam ser usadas para esclarecer e não ofender. Ridículo- ofensa. Perdidos, incoerentes, ingênuos – Ver o erro do próximo com piedade. As ações podem ser legítimas, mas nossos comportamentos diante delas, a forma que escolhemos proceder devem ser muito refletidas sob à luz de Jesus , diante de qualquer conflito.

  11. Parabenizo você uma vez mais, pela sensatez e pela coragem, como dizia nosso saudoso amigo Amilcar Del Chiaro. Não bastasse o artigo da Dora Incontri para despertar os menos avisados, para os que fecharam os olhos para “a falta de seriedade dos argumentos”. Chico não é Kardec, ela escreveu e correu pela mídia espírita. Em um dos primeiros parágrafos vamos encontrar sobre “A Identidade do Eu” – “… Um dos pontos fundamentais demonstrados pelo Espiritismo, que, aliás, se insere plenamente na tradição socrático-platônica-cristã, é a idéia de uma identidade individual, permanente, que está em progresso e mutação, mas guarda um eu reconhecível, com características próprias de personalidade, com memórias e potencialidades particulares. Até os Espíritos puros, que atingiram a perfeição, cuja personalidade nos é difícil examinar, mantêm, segundo a doutrina espírita, ainda e sempre sua individualidade…”

  12. Caro Wilson

    Excelente artigo meu irmão…é necessário e urgente que se reflita sobre os “destinos” do movimento espírita.

    Parabéns

    Abraço

    João Afonso
    De Minas na Paraíba

  13. …em dias conturbados como os que estamos vivendo que tal refletir (divulgar) sobre a prática mediúnica para o consolo (há tanta gente precisando de auxílio) e nós espíritas, discutido o “sexo dos anjos”. Chico Xavier pelo que conheço de seus feitos nunca parou de ajudar no exercício de sua mediunidade. A grande Maioria dos agrupamentos espíritas estão tornado-se um clero de pureza doutrinária. Enquanto isso os indicadores de suicídio, de uso de drogas, de prática de corrupção, etc.. estão aumentando.

  14. Excelente artigo. Já conversamos com diferentes dirigentes de casas espíritas que seguem estes Chiquistas, crendo em Chico Xavier uma reencarnação de Kardec. Imediatamente lhes comuniquei o erro, solicitando a leitura de obras do próprio Chico, leia-se “DEUS CONOSCO”, “SEMENTEIRA DE LUZ”, que clarifica, as últimas reencarnações de um grupamento de espíritos, incluindo o próprio Chico, deixando claro que todas as reencarnações de Chica Xavier, antes desta última, tinham sido em sexo feminino, o que exclui a chance dele ser Allan kardec. Apenas o orgulho pode ser o catalisador destes, que pensam em lucrar de alguma maneira, na divulgação deste erro, e assinando embaixo, como que desejando constar numa fictícia lista de pessoas superiores, que “dizem saber” a verdade e que “psicografam” os defensores da oposição, como que, “corrigindo” seus erros. Para estes, precisamos orar por eles, para que seus pensamentos se renovem e pelo menos deixem o barco para que naufrague sozinho. Mas quando ele naufragar e muitos ainda estiverem nele, auxiliemo-los a ver seus erros na vida maior e encorajemos os mesmos a, no futuro, voltarem para corrigirem esses abrolhos, que espicaçam ainda os iniciantes na doutrina. Finalmente pensemos, de que adianta se divulgar, quem foi quem, se nada aproveitamos disso, ao invés de valorizar a contribuição de cada um, no seu tempo. Lembro do final do livro “Missionários da Luz” de André Luiz/ pelo médium Chico Xavier, quando o instrutor Alexandre, corrige seus alunos, que iniciavam um processo de idolatria de sua figura, lembrando-os, que o único, que merece qualquer distinção, sempre será a figura imorredoura de Nosso Senhor Jesus Cristo…

  15. Parabéns pelo lúcido artigo.
    Se as pessoas estudassem a obra de Kardec… (20 livros, tinham muito que ler – sorrisos…)

    Com amizade,
    José Lucas
    Portugal

  16. Amigo e irmão Wilson,
    só a tua iluminada lavra deduziria, com clareza e precisão, os desvarios da turba chiquista. Se Chico fosse Kardec, com certeza eu seria Jesus Cristo reencarnado. Bem, poderia reduzir para um dos apóstolos Thiago para não parecer tão pretensioso e tu, seria quem? Pedro? Acho que na estreita visão dos Chiquistas te sobraria o Judas Iscariotes.Não, não fique triste, nós te amamos pelo que és não nos importando se fostes figura conhecida ou meramente um escriba desempregado dos tempos reinais, Grande abraço. Deus te ilumine ainda mais,

  17. Quando não se pode atacar diretamente uma doutrina ataca-se sua imagem buscando o ridículo e o descrédito. Essas ações fazem parte de um plano nefasto e grandioso das sombras, e infelizmente encontram eco em mentes invigilantes sedentas de reconhecimento e fama, e paupérrimas em estrutura Espírita.
    Parabenizo a você pela coragem e audácia, esse é o papel dos divulgadores do Espiritismo, zelar pela verdade e desmascarar a mentira.

  18. Texto irretocável amigo. Fiquei esperançoso ante tantos comentários sensatos e de apoio ao seu raciocínio, mas acho que da forma como andamos estamos nos habilitando com muita “competência” a ser precursores de uma “quarta revelação”… como damos trabalho… Abraço.

  19. Excelente artigo, claro, objetivo e verdadeiro. Resta saber quando entenderão o grande significado que é a Doutrina Espírita.

  20. Ainda bem que o movimento espírita ainda conta com mentes lúcidas para reagir aos absurdos doutrinários que proliferam denegrindo e ridicularizando o espiritismo.
    Parabéns, amigo Wilson, por seu verbo oportuno e forte!
    Um abraço,
    Salomão Jacob Benchaya

  21. UMA REALEZA TERRENA
    (…)Não se pergunta o que foste, que posição ocupaste, mas o bem que fizeste, as lágrimas que enxugaste.

    A CARIDADE MATERIAL E A CARIDADE MORAL
    A caridade moral consiste em tolerardes uns aos outros.
    E isto é o que menos fazeis, neste mundo inferior onde estais encarnados no momento.
    Há um grande mérito, acreditai em mim, em saber calar-se para deixar falar a um mais tolo.
    Isto também é uma forma de caridade.
    Fazer-se de surdo quando uma palavra de menosprezo escapa de uma boca habituada a zombar, não ver o sorriso desdenhoso que vos recepciona nas casas de pessoas que, frequentemente, sem razão, acreditam ser superiores a vós, quando na vida espírita, a única real, estão algumas vezes bem longe disso: eis um merecimento, não de humildade, mas de caridade, pois não observar os erros dos outros é caridade moral.

  22. Excelente matéria. Parabéns.
    O Espiritismo brasileiro foi tomado de um movimento religioso que afronta qualquer investida no caminho da razão. Chico virou o centro e o mais engraçado é que ele mesmo nunca disse a ninguém ter sido o Kardec, pela razões mais óbvias.
    Por duas vezes conversei com o Rizzini quando veio ele a Barueri proferir palestra sobre Kardec no CEFA – Centro Espírita Fraternidade e Amor exatamente sobre o assunto e ele, taxativamente, afirmou ter tido conversa pessoal com Chico que falou sobre a reencarnação anterior como uma moça. Os próprio traços do Chico levava a essa afirmação.
    Bacelli e o filho do Chico, este por interesses escusos e aquele por interesses editoriais, iniciaram a propaganda do Chico/Kardec. Uma ato lastimável.
    Mas, diante de toda essa celeuma, é possível destacar pessoas que se preocupam com a Doutrina Espírita e não com a “religião espírita”.
    Grande abraço.

  23. Olá pessoal, vou tecer mais um breve comentário sobre essa temática, haja visto ter percebido a grande quantidade de comentários aqui.

    Se Chico teria sido ou não Kardec, isso pouco importa. A natureza do fenômeno reencarnatório se caracteriza, dentre outras coisas, pela perda da memória do “eu espiritual”, sendo assim, cada reencarnação precisa ser vivida de uma forma única. Então alguns que idolatram Chico parecem possuir o desejo de que o mesmo foi Kardec em outra vida, para elevar seu “status”.

    O fato verdadeiro é q nunca saberemos e isso ja ficou no mundo da crendice, algo problemático no atual meio espirita, uma vez que tendeu ao religiosismo e isso pouco importaria se foi ou não.. Em personalidade Chico foi Chico e Kardec foi Kardec..

    Sandro

    Revista Ciência Espirita
    https://revistacienciaespirita.com

  24. Isso realmente não importa. Acontece que a reencarnação, apesar da lei do esquecimento, traz características impregnadas no perispírito, principalmente da mais próxima, razão pela qual pode-se inferir que Chico nunca foi Kardec e ele mesmo confessou a Rizzini que havia sido uma menina na reencarnação passada. É o mais racional dentre todos os debates dessa natureza.

  25. Amigo, porque, ao invés de atacar, você não faz a defesa daqueles que, na sua convicção estão fazendo um bom trabalho? Você misturou tantos médiuns que fica difícil separar, acho que generalizou demais. No link que você postou, há varias notícias, deveria ter colocado o específico, sob pena da gente generalizar tudo e tem coisas boas ali também, tem alguns que é só notícia viu!
    Jesus mesmo nos ensinou que devemos considerar os esforços de todos, “ataquemos com caridade”, sempre que possível, porque todos somos irmãos na luta e, acho que devemos ser mais pontuais, talvez até contatando diretamente com o médium, pessoalmente… “Deus não quer a morte do pecador mas do pecado”.

  26. Eu sinceramente acho que Chico não era Kardec, e tenho medo que essa discussão possa dividir ainda mais o movimento espírita. Para mim não é relevante. Mesmo que provem, a prova será sempre frágil. Se a gente se propõe a um diálogo interreligioso, porque não nos propomos a um diálogo interno? Passar por cima dessa questão? Se o que importa é o combate ao egoísmo, não seria melhor nos unirmos? O momento ai fora é grave, há os dois projetos postos, o velho e o novo, há médiuns realmente obsidiados dizendo que não faz prece pelos outros para não pegar os espíritos para ele, vendendo livros… mas não adianta atacar, temos que oferecer opção mesmo. Bom encerro minha participação por aqui, mas ressalvando que acho válidas suas críticas, sua inteligência e peço que não me entenda mal, pois admiro você e compreendo sua preocupação. Um grande abraço.

  27. Parabenizo o articulista pela temática tão bem explicada, mas infelizmente a massa não quer enxergar o bom senso, nem por isso devemos calar. Continuemos defendendo essa aberração no movimento espírita. A doutrina não merece tamanha ridicularização.

  28. Fiz uma pesquisa em meu site: http://www.vademecumespirita.com.br e 85% dos internautas responderam não acreditar que Chico seria a reencarnação de Kardec. Além de dois fatos gritantes se oporem frontalmente a esta possibilidade. Kardec alma nitidamente masculina e Chico notoriamente feminina. Mais de uma dezena de comunicações atribuídas a Kardec enquanto Chico encarnado; uma ou duas tudo bem, mas dezenas! http://www.vademecumespirita.com.br/goto/store/texto/428/allan-kardec-espirito – Infelizmente ainda estamos alimentando este comércio em torno deste assunto.

  29. Estão tirando o foco da principal tarefa do Espiritismo no mundo, que é a transformação moral, profunda do “si mesmo”. Estudar o Evangelho! Isso é que está faltando e o que deve predominar nos verdadeiros objetivos dos espíritas. Quando se estudar a Doutrina e observá-la sobre um ponto de vista de esforço na reformar íntima, muitos absurdos serão identificados na hora. Basta estar fazendo essa autotransformação com coragem e humildade. Mediunidade sem Jesus, sem Evangelho, não faz parte da Doutrina Espírita.

  30. Quando você falou em mensagem enviada por “Arnaldo Rocha”, fiquei com receio de que falasse do médium muito sério e trabalhador dedicado, que como já vi seu nome citado por aqui, vou defender o Wagner Gomes da Paixão. Vi que você não citou ele, ainda bem, mas foi citado nos comentários, por alguém. A gente não pode generalizar e procurar “separar o joio do trigo”. Se pelos frutos se conhece da árvore, o trabalho do Wagner é muito sério e responsável. Assim, segue o link da notícia da mensagem do Arnaldo Rocha, por outro médium:

    http://www.vinhadeluz.com.br/site/noticia.php?id=2286

  31. A mim, mero estudane da filosofia espírita, fica a imortal orientação de Emmanuel a Chico, quando surgissem dúvidas, sobre as suas mensagens(Emmanuel) e as de Kardec, para que ficasse com Kardec.

  32. Esta questão de Chico e Kardec, para mim á estava superada ha muito tempo, eu só não entendo é como um espírito espírita e escritor vibrante e de alta produção como o Ilustre Herculano, desencarnou e sumiu, morreu. Está esperando o juízo final. Cadê Herculano Pires????

  33. Descordo de suas oposições, não vejo nenhum impedimento para que Chico não seja a reencarnação de kardec, isso ao contrário do que você afirma não é nenhum endeusamento a figura de chico , até porque a vida exemplar que ele viveu dispensa quaisquer lisonja.

  34. Eu concordo que o artigo mexe em feridas que deveriam ser cicatrizadas. Não consigo entender qual a importância de Chico ter ou não sido Kardec. O que é importante é que ambos revolucionou a forma de pensar a vida é o pos morte e nos trouxe informações extremamente importantes para nós. Agora uma coisa há que se concordar que há uma guerra não declarada de dezenas de médiuns em todo o país que chama para si a glória de ter vivido e conhecido o Chico. Só esquecem de uma coisa: o Chico em vida foi a pessoa mais simples do mundo e sempre fugiu da fama, então eu deduzo que todos esses senhores só querem tirar proveito da situação porque caridade nessas discussões não há. Lamentável o espiritismo do Kardec e do Chico estar tomando rumos perigosos. Que Deus ilumine a todos para que a razão execute o seu papel em suas mentes carentes de bom senso.

  35. Caro amigo Wilson, sempre admirei seu trabalho direcionado pela lógica do bom senso. Como disse Martin Luther King “Não me preocupo com o alarido do mal, mas com o silêncio dos bons”. Precisamos sair das catacumbas da omissão e assumir uma postura racional que é a base do Espiritismo. Parabéns pela publicação!

  36. Penso que o movimento espírita é cada vez mais marcado por “pouco Kardec” e “muita caridade”.
    “Pouco Kardec” porque a maioria dos espíritas ou simpatizantes passa longe das obras do Codificador, recebendo “espiritismo” por meio do filtro de obras (psicografadas ou não) que destoam de Allan Kardec.
    Não são poucos os espíritas que acham que Jesus não foi concebido por ato sexual – como toda a humanidade encarnada! -; e a ideia de casamento “aparente” de Kardec e Amélie é outro absurdo que mostra influências para tornar o espiritismo uma seita do catolicismo, até ser absorvido por este e desaparecer. É obra de espíritos que combatem o espiritismo do lado de lá, com efeito neste plano.
    “Muita caridade” porque esta é usada para permitir os maiores disparates no âmbito da doutrina, pois discordar de qualquer cousa é ato visto como falta de caridade. Não se pode discutir, debater sobre nenhum assunto!
    Somos obrigados a aceitar a enxurrada de obras supostamente espíritas publicadas todos os anos, pois se fizermos um comentário ou resenha negativa seremos tidos por pouco caridosos. Somos obrigados a conviver, em centros espíritas, com retratos de “Maria Santíssima”, cruzes, rezas católicas e outras coisas estranhas ao espiritismo – e qualquer comentário é ouvido como “falta de caridade”.
    Ser caridoso não implica aceitar coisas erradas. Lembremo-nos de que Jesus foi bem caridoso com os vendilhões do templo, ao expulsá-los de lá. Ou não?

  37. A liberdade de expressão contempla o tão falado “livre arbítrio” citado por Jesus e esclarecido pela Doutrina… Outro fato importantíssimo ensinado pelo Mestre e tão esplanado pelo Espiritismo e a compreensão, a tolerância dentre outros…Para a opinião exposta neste artigo venho lembrar que ambas as base que temos como fonte de conhecimento e evolução, ja citadas, vem nos dizer que jamais devemos julgar nosso semelhante pois nem o Pai nos julga! Apoio a liberdade de expressão mas sem ofensa a quem quer que seja principalmente com citação de nomes, este não e o fundamento da Doutrina Espírita onde o Espirito da Verdade nos diz no Evangelho: “Espíritas amai-vos, espíritas instruir-vos” …
    Logo devemos concentrar nossas energias no que realmente importa: O AMOR FRATERNAL!!!

  38. Olá Cláudia Cristina. Quanto à citação de nomes no texto, é preciso esclarecer quer que o faço por princípio ético, uma vez que todos, indistintamente, deram sua opinião de forma pública e não seria honesto da parte de ninguém criticar tais opiniões sem apontar seus autores. Lembre-se, ainda, da expressão atribuída a Jesus: “seja o seu falar sim, sim; não, não”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *