Categoria: Literatura

O PONTO FINAL – uma nova forma de ver

Transcrevo a seguir, para conhecimento dos meus caros leitores, a mensagem que recebi por e-mail do caro amigo Cícero Arruda a respeito do meu livro PONTO FINAL, o reencontro do espiritismo com ALLAN KARDEC. Agradeço-lhe a gentileza e a generosidade das suas apreciações.

Meu caro Garcia, analisando as observações sobre o seu livro O PONTO FINAL, inicio meu pensamento dizendo que o amigo precisa ser muito forte para suportar as consequências de mexer com o que chamo de casa de marimbondos. Foi assim com o nosso amigo J.L. Boberg, lembra não é? Mas…não foi diferente com o Mestre, o Rabi da Galileia, de tantos seguidores, do Gigante da Galileia de J.J.Benitez/Maj. Jason. É sempre assim: mexeu com o modo de pensar das pessoas, vem chuva grossa em seguida.

Na minha humilde visão de estudioso, acredito que isso é muito bom. Despertou interesses. E, se isso aconteceu, é porque as pessoas leram, estudaram, interessaram-se pelo assunto, etc. Quanto a aceitarem, o Divino Mestre foi crucificado porque defendeu certos assuntos que feriram o modo de pensar e de agir de muita gente.

Quanto a ser ESPÍRITA EVANGÉLICO ou ESPÍRITA CATÓLICO, por serem estas as filosofias que prosperam em nosso país, por conta do parco conhecimento e da má formação filosófica, eu, pessoalmente, não tenho nada contra, pois (nem sempre) considero o Espiritismo uma Religião.

Pela minha ótica, o substantivo religião pode ser usado em muitas situações. Sendo ela uma linha de raciocínio, de crença, de confiança, de respeito, etc., poderá ser seguida até por simpatizantes de um time de futebol. Temos exemplos de torcedores que pularam de cabeça para baixo de uma altura de cinco metros, porque o seu time foi campeão. E morreram. Além (mais…)

O peso dos fatos e o fato em si: leitores de Ponto Final reagem segundo suas convicções

“Muitos disseram: “prefiro não me meter em polêmicas” ou “não quero sair repetindo o que um autor falou só pq é a opinião dele” (mesmo tendo provas sobre isso) ou então “prefiro continuar sendo um espírita evangélico” mesmo sabendo que distorce o pensamento do mestre Kardec” (sic).

O parágrafo em destaque acima está no e-mail que recebi de um leitor do livro Ponto Final: o reencontro do espiritismo com Allan Kardec, e-mail datado de 17 de fevereiro de 2021 e se refere a opiniões que ouviu de pessoas suas amigas com quem conversou sobre o livro.

Fotos enviadas pelo leitor mostram o livro marcado com suas anotações.

Não é de todo surpreendente, pois o livro vem causando reações as mais diversas, muito embora parte dessas reações ocorram por conta da dificuldade do ser humano em lidar com os fatos, especialmente aqueles que podem causar a quebra de crenças e ilusões caras aos seus portadores. Tenho dois outros exemplos que vêm se somar aos que o leitor em referência alude. Vejamos.

Conhecido líder espírita de importante capital nordestina fez, recentemente, uma live para entrevistar um diretor da Federação Espírita Brasileira (FEB) e durante o encontro afirmou, entre indignado a afoito, que alguns espíritas andam “falando mal de Bezerra de Menezes e Chico Xavier”, questionando o entrevistado sobre o que achava disso. A afirmação veio na esteira de comentários que claramente aludiam ao livro “Ponto Final”, porém sem o mencionar diretamente.

Este caso é emblemático. Há leitores que se chocam com algumas afirmações factuais e prefeririam não ter de lidar com elas. A verdade é que os fatos pesam e para alguns pesam de modo intenso emocionalmente, levando-os a uma reação descontrolada a ponto de fazerem acusações generalizadas e injustas. A afirmação de que “andam falando mal de Bezerra de Menezes” surge como leviana, neste caso. (mais…)

´Pensador` publica entrevista com o autor do livro Ponto Final

Entrevista foi realizada por e-mail dias antes do lançamento do livro e publicada na edição novembro/dezembro de 2020, distribuída neste dia 9 de janeiro de 2021. Algumas questões abordadas que não aparecem na publicação estão aqui presentes.

Criado e dirigido pelo competente jornalista Carlos Barros, jornal da Paraíba circula a cada dois meses.

O QUE LEVOU VOCÊ A ESCREVER ESTE LIVRO E LANÇÁ-LO EM UM MOMENTO TÃO CONVULSIVO DE REVELAÇÕES SOBRE AS OBRAS CONCLUSIVAS DE ALLAN KARDEC, ADULTERADAS APÓS A SUA MORTE FÍSICA?

WG – A oportunidade foi o motivo principal que me conduziu a escrever este novo livro. Há pouco mais de dois anos, retornei a São Paulo, depois de viver 14 anos em Recife, onde fiz extensa relação de amigos. Ao retornar à cidade que me recebeu há mais de 50 anos, tive a felicidade de entrar em contato com o CDOR – Centro de Documentação e Obras Raras e receber o convite para me tornar pesquisador, especialmente do Acervo Canuto de Abreu e as famosas Cartas de Kardec. E muitas dessas cartas desdobraram diante de mim um quadro histórico importante e por demais necessário para ser narrado, uma vez que em minha opinião era o desdobramento de um trabalho que eu havia iniciado em condições inesperadas no ano de 1979, quando ainda estava na equipe do jornal Correio Fraterno do ABC. (mais…)

César Perri, ex-presidente da FEB, publica resenha do livro Ponto Final

Livro impresso e em forma de e-book de autoria de Wilson Garcia, lançado pela Editora EME em dezembro de 2020, com o subtítulo: “Cartas de Kardec revelam mais sobre os bastidores do espiritismo e as convicções do seu fundador”. O autor se fundamenta em documentações hoje disponibilizadas em meios digitais, como as cartas e textos de Kardec do acervo obtido por Canuto de Abreu e agora sob a guarda e conservação do CDOR da Fundação Espírita André Luiz, de São Paulo. Ao reproduzir esses documentos o novo livro apresenta também o QR Code dos mesmos.

Para ser fiel aos documentos, grande parte inéditos, e ao texto do autor do novo livro, reproduzimos alguns trechos significativos que oferecem uma visão geral do conteúdo marcante de Ponto final, que tem como itens: Kardec em Bordéus; Roustaing no terreno espírita; Grupo Sayão: o roustainguismo brasileiro; História falseada e história real; Cultura espírita ou hibridismo cultural; O espiritismo reencontra Kardec.

À guisa de resumo, a seguir transcrevemos alguns destaques (mais…)

Livro PONTO FINAL terá lançamento virtual pela Rede Amigo Espírita no dia 16 de dezembro

O livro traz à tona uma parte importante da história do espiritismo, pouco ou jamais conhecida pelos espíritas, incluso as lideranças, dirigentes e trabalhadores de centros e demais instituições doutrinárias brasileiras. Seu lançamento será feito através de live pela Rede Amigo Espírita no Facebook e YouTube no dia 16 de dezembro, às 19h.

Trata-se não apenas de um resgate dessa trajetória necessária à compreensão do espiritismo em terras brasileiras, mas de uma abordagem que coloca em destaque os descaminhos da obra impostos à revelia de Kardec, que ele não pôde evitar, mas cuja ação conhecia desde cedo.

Os estudos com base em documentos e informações que somente na atualidade foi possível alcançar, amparados, inclusive, pelas tão aguardadas Cartas de Kardec constantes do Acervo Canuto de Abreu, em poder do CDOR – Centro de Documentação e Obras Raras da FEAL – Fundação Espírita André Luis, oferecem ao leitor um olhar cronológico e panorâmico dos acontecimentos e reforçam a ideia de um desvio imposto à doutrina espírita, especialmente pela introdução no seu corpo filosófico e por extensão nas práticas espíritas de teorias alheias à autonomia moral, as quais foram introjetadas no movimento espírita de modo sutil e persistente.

As pesquisas têm como um dos pontos iniciais a primeira viagem de Allan Kardec à cidade francesa de Bordéus, em outubro 1861, por convite dos espíritas locais, tendo como líder o Sr. Sabò, (mais…)

Livro com pesquisas na França sobre adulterações na obra ´O céu e o inferno` é lançado virtualmente.

Em evento ao vivo pelas redes sociais e TV Mundo Maior, os autores Paulo Henrique de Figueiredo e Lucas Sampaio anunciam alterações feitas na penúltima obra de Allan Kardec sem que este as tenha feito.

Livro revela a trajetória das pesquisas.
Paulo expôs mudanças de conteúdo que contradizem filosofia.
Lucas fez pesquisas em Paris e reuniu documentação.

Foi realizado na noite de ontem, 29 de outubro de 2020, o lançamento oficial e as primeiras revelações do conteúdo do livro Nem céu nem inferno – as leis da alma segundo o espiritismo, assinado em coautoria por Lucas Sampaio e Paulo Henrique de Figueiredo, com o selo FEAL. O evento teve transmissão ao vivo pela TV Mundo Maior (clique para assistir na íntegra), da Fundação Espírita André Luiz, e pelas redes sociais Facebook e YouTube, sendo acompanhada interativamente por cerca de cinco centenas de pessoas. Pré venda ultrapassa mil exemplares. (mais…)

´A gênese` e, agora, o livro ´O céu e o inferno` vistos por dois prismas opostos

As hipóteses existem para serem testadas. Enquanto não o são ou, sendo, não se evidenciam nem se mostram viáveis, não servem sequer para validar o imaginário do possível.

Alguns se apaixonam pelas hipóteses e sob o signo delas produzem evidências imaginárias e as utilizam como outras hipóteses e assim sucessivamente. Hoje, no campo dos estudos, pesquisas e análises da ampla documentação sobre Allan Kardec, entre as quais o Acervo Canuto de Abreu, os livros A gênese e O céu e o inferno dividem as opiniões e colocam em dois lados diferentes os envolvidos.

É sabido que as discussões sobre a 5ª edição de A gênese não são de agora, pois as diferenças entre as 1ª e a referida 5ª edição suscitam discussões enormes, podendo-se dizer que as suspeitas de que a 5ª edição contém enxertos, supressões e alterações textuais vêm desde 1884 ainda na França. Coube a Simoni Privato levantar documentos e registros sobre o assunto e desvendar a verdade sobre a publicação desta 5ª edição, inclusive o ano da sua publicação que não consta da obra. Com isso, os enxertos, supressões e alterações apontavam para a responsabilidade de Leymarie, que foi quem mandou publicar a edição. Era justo. (mais…)

Os livros dos Espíritos

Livro-pesquisa de Luís Lira, publicado pela Editora EME com apoio do CPDoc e do CCDPE, terá semana de lançamentos em São Paulo.

Uma pesquisa original motivada pelas alterações nas primeiras 16 edições do livro básico do Espiritismo, alterações feitas diretamente por Allan Kardec ainda encarnado, levou o estudioso espírita Luís Jorge de Lira Neto a escrever sua primeira obra intitulada Os livros dos Espíritos. Trata-se de um trabalho que não apenas demonstra como Kardec agiu desde a edição inicial, especialmente com as modificações e ampliações introduzidas já na segunda edição, quando O livro dos Espíritos praticamente dobrou sua quantidade de questões, mas mostra, também, aprimoramentos posteriores e com isso facilita grandemente os interessados, curiosos e estudantes, na compreensão dos fatos.

O autor apresentou seu estudo, de modo resumido, no Encontro da Liga dos Historiadores e Pesquisadores Espíritas ocorrido em agosto de 2019 em Fortaleza, Ceará, bem como o discutiu amplamente em apresentação no Centro de Pesquisas e Documentação Espírita (CPDoc), em Santos, onde colheu subsídios e sugestões que o levaram a dar o texto definitivo ao livro.

O lançamento oficial do livro está marcado para o período de 9 a 14 de março de 2020 e será feito em três cidades paulistas: na Capital, em Campinas e em Santos. O programa elaborado em conjunto pela CEPA e o CPDoc, começa na segunda-feira, dia 9, no Centro de Estudos e Desenvolvimento Espiritual Os Caminheiros da Luz, Rua Conde Prates nº 368, Parque da Moóca, São Paulo/SP. Na twrça-feira, 10, e evento acontece no Grupo Espírita Manoel Bento, Rua Alfredo Pujol nº 79, Santana, São Paulo/SP. Na quarta-feira, 11, o local será o Grupo Espírita Casa do Caminho, Av. Francisco José de Camargo Andrade nº 945, Jardim Chapadão, Campinas/SP. Na quinta-feira, 12, ele estará de volta à capital paulista, no Centro de Estudos Espíritas José Herculano Pires, Rua Alicante nº 389, Vila Granada, São Paulo, SP. Na sexta-feira, 13, o autor vai ao litoral paulista para o lançamento no Centro Espírita Allan Kardec, Rua Rio de Janeiro nº 31, Vila Belmiro, Santos/SP. Finalmente, no sábado, dia 14, o lançamento ocorrerá no Centro Espírita Nova Era, Rua Martim Afonso nº 78, Belenzinho, São Paulo/SP. O evento de encerramento ocorrerá à tarde, às 16h. Todos os demais serão às 20h.

O livro encontra-se à venda nas livrarias espíritas ou pelo site da Editora EME. Os direitos autoriais foram doados ao Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa Espírita Eduardo Monteiro de Carvalho (CCDPE-ECM) e ao Centro de Pesquisa e Documentação Espírita (CPDoc).

 

 

A proposta espírita e os caminhos transversos da doutrina

(Especial para a Revista Evolución)*

Luz e trevas, silêncio e som, liberdade e prisão. As grandes verdades encontram mais facilmente o seu oposto, as mentiras, quando os homens se concedem a ser heterônomos.

Lendo ainda no textão entregue à editora, com seus rabiscos e indicações de primeira revisão, tenho diante de mim o livro cuja capa ilustra este artigo, assinado pelo amigo Paulo Henrique Figueiredo, em lançamento no Brasil neste mês de agosto de 2019. Seu título começa com uma palavra de fundamental importância: autonomia, ou seja, o antônimo de heteronomia. No espiritismo, a distância entre as duas palavras não se resume aos sentidos semânticos, mas à própria história da doutrina, escrita sob a permanente luta entre a liberdade e a prisão. Daí o subtítulo do livro incorporar a expressão “a história jamais contada”.

Autonomia resume muito bem o objetivo espírita de conceber o homem como ser capaz de construir o próprio destino sob o amparo do livre-arbítrio e de utilizar esse mesmo caráter em sua procura incessante pelo conhecimento como base de sua superação pessoal e das amarras que o retêm ao chão do planeta. As doutrinas heterônomas propõem exatamente o contrário: a submissão e a dependência a um poder dominante e limitador.

Ao dizer isso, não estou apenas elogiando o autor de mais uma obra de importância nos caminhos da doutrina legada por Allan Kardec, que todos os admiradores do mestre conhecem o altíssimo valor, mas, com a flama da convicção a tremular, afirmo que a obra traz a marca da reescrita da história da doutrina, seja em seu percurso no Brasil, no continente americano ou no velho mundo, de onde veio altaneira e livre, sobranceira e bela. Em especial no Brasil, pelo que essa história contém. Para tanto, o livro está amparado em documentos relevantes que permitem, já agora, lançar um novo olhar para os fatos desde os anos 1850 até os dias atuais, e com isso superar os conflitos dos caminhos transversos pelos quais passou e passa ainda o espiritismo.

Para espíritas brasileiros e estrangeiros que desconhecem os fatos a que aludo – e brasileiros são a maioria devido à proliferada atitude das instituições dominantes de contar a história ao sabor da ficção – os caminhos transversos apontados se constituem em desvendamento, em retirada do véu colocado sobre a verdade, com vistas a recontar tal história, desnudando a efígie, afinal as vestes com que é mostrada não fazem parte de seu corpo escultural. (mais…)

Espiritismo, complementações e cuidados

A obra de Chico Xavier surgiu de forma tão avassaladora quanto sua partida deixou um misto de admiração e respeito, mitificação e aceitação plena de sua produção mediúnica, como se não precisasse de mais nenhuma análise à luz da razão espírita e pudesse substituir as obras básicas no estudo do espiritismo.

Entre Freitas Nobre e sua esposa, Marlene, Chico Xavier em evento em São Paulo

A doutrina do espiritismo, tão logo se consolidou, enfrentou todos os desafios que uma teoria revolucionária enfrenta, mas poucos, na atualidade, podem entender isso na sua amplitude real. Já após a partida de Allan Kardec surgiram com mais destaque movimentos de reforma e acréscimos, complementos e supressões que hoje ficam claros ante as pesquisas e podem passar por reavaliações sob o suporte de documentos inquestionáveis.

Não se pode olvidar que a ação humana é capaz de enriquecer e empobrecer, fortalecer e enfraquecer, a depender dos interesses em jogo no campo do conhecimento. Da mesma maneira, não há como colocar de lado as imensas dificuldades que o ser humano possui para sustentar com bom-senso as verdades que se mesclam às ideias sem o lastro das provas, num cenário de decisões a serem tomadas, inevitavelmente. Quase sempre muitas verdades são aceitas em meio a mentiras ou falsas teorias, compelidos que os seres são a manter, em meio aquilo que se expressa por bom conhecimento, crenças baseadas apenas na emoção ou na ilusão e, para aproveitar uma expressão desses nossos tempos, juntos e misturados. Ou seja, o joio sufocando o trigo que luta por frutificar. (mais…)