Categoria: Espiritismo

Livro com pesquisas na França sobre adulterações na obra ´O céu e o inferno` é lançado virtualmente.

Em evento ao vivo pelas redes sociais e TV Mundo Maior, os autores Paulo Henrique de Figueiredo e Lucas Sampaio anunciam alterações feitas na penúltima obra de Allan Kardec sem que este as tenha feito.

Livro revela a trajetória das pesquisas.
Paulo expôs mudanças de conteúdo que contradizem filosofia.
Lucas fez pesquisas em Paris e reuniu documentação.

Foi realizado na noite de ontem, 29 de outubro de 2020, o lançamento oficial e as primeiras revelações do conteúdo do livro Nem céu nem inferno – as leis da alma segundo o espiritismo, assinado em coautoria por Lucas Sampaio e Paulo Henrique de Figueiredo, com o selo FEAL. O evento teve transmissão ao vivo pela TV Mundo Maior (clique para assistir na íntegra), da Fundação Espírita André Luiz, e pelas redes sociais Facebook e YouTube, sendo acompanhada interativamente por cerca de cinco centenas de pessoas. Pré venda ultrapassa mil exemplares. (mais…)

´A gênese` e, agora, o livro ´O céu e o inferno` vistos por dois prismas opostos

As hipóteses existem para serem testadas. Enquanto não o são ou, sendo, não se evidenciam nem se mostram viáveis, não servem sequer para validar o imaginário do possível.

Alguns se apaixonam pelas hipóteses e sob o signo delas produzem evidências imaginárias e as utilizam como outras hipóteses e assim sucessivamente. Hoje, no campo dos estudos, pesquisas e análises da ampla documentação sobre Allan Kardec, entre as quais o Acervo Canuto de Abreu, os livros A gênese e O céu e o inferno dividem as opiniões e colocam em dois lados diferentes os envolvidos.

É sabido que as discussões sobre a 5ª edição de A gênese não são de agora, pois as diferenças entre as 1ª e a referida 5ª edição suscitam discussões enormes, podendo-se dizer que as suspeitas de que a 5ª edição contém enxertos, supressões e alterações textuais vêm desde 1884 ainda na França. Coube a Simoni Privato levantar documentos e registros sobre o assunto e desvendar a verdade sobre a publicação desta 5ª edição, inclusive o ano da sua publicação que não consta da obra. Com isso, os enxertos, supressões e alterações apontavam para a responsabilidade de Leymarie, que foi quem mandou publicar a edição. Era justo. (mais…)

As grandes turmas estão condenadas a desaparecer após a pandemia da COVID-19?*

Nenhum ensino de filosofia, como a espírita, nenhum conhecimento científico, nenhum aprendizado ético-moral pode produzir pensamento crítico reunindo multidões numa mesma sala. Não há método pedagógico capaz de validar isso.

Multidões são incompatíveis com o pensamento crítico.

Grandes centros espíritas, à semelhança de federativas excessivamente crescidas, buscaram solução para o desafio de atender e incorporar o crescente número de pessoas interessadas na doutrina abrindo salões com capacidade para reunir centenas delas ao mesmo tempo e passaram a ministrar-lhes ensinamentos pelo método mais ante pedagógico possível: o monólogo dos expositores regidos por apostilas de raciocínio padronizado e narrativas pre formatadas. (mais…)

Nestes tempos de pandemia, uma ótima notícia é a fala de Charles Kempf sobre o espiritismo na França (e no Brasil)

O espírita francês que residiu no Brasil, onde conheceu a doutrina, deixou patente que o espiritismo de feição religiosa dominante por aqui tem poucas chances de despertar interesse nos países europeus.

Kempf fez uma apreciação histórica da doutrina desde os tempos de Kardec.

Com uma palestra-entrevista na noite de ontem, 29 de setembro de 2020, o espírita francês Charles Kempf falou sobre diversos aspectos históricos e atuais da doutrina espírita, demonstrou sua apreciação pela tese da autonomia contra a heteronomia do movimento religioso espírita no Brasil, autonomia que melhor representa o pensamento de Allan Kardec para o espiritismo, segundo Kempf.

Charles Kempf que, depois de retornar à França e viver por cinco anos no Brasil, tornou-se um ativo integrante do movimento espírita, fez uma apreciação histórica da doutrina desde os tempos de Kardec, dando destaque entre outras coisas para as divisões que se acentuaram com a morte física do codificador e os desvios promovidos que resultaram na descaracterização de fundamentos básicos. (mais…)

Uma verdade: na prática, a compreensão doutrinária quase nunca é a mesma da razão filosófica

É importante saber que há dois tipos de compreensão do espiritismo: aquele que deriva da argumentação teórica e sua lógica e aquele tipo que surge da prática cotidiana. Esta segunda forma é a que define, de fato, o que se compreende coletiva e socialmente por espiritismo.

Quando se afirma que Allan Kardec definiu, em 1868 em A gênese, que o espiritismo pode ser visto como uma religião no sentido filosófico do termo, não há quem de bom senso discuta. A afirmação é categórica. No sentido usual do termo, religião remete ao significado dominante e por todos consagrado: trata-se de algo que obedece a dogmas, à prática ritualística, submete-se a uma hierarquia de poderes, a um conjunto de cultos, práticas exteriores de adoração, casta sacerdotal, cerimônias, crenças etc. No sentido filosófico, religião se coloca como laço fraterno e solidário entre os seres humanos, não comportando nenhuma das expressões que caracterizam a palavra em seu sentido habitual e pelas quais é implicitamente compreendida. (mais…)

Cartas de Kardec, pelo NUPES, coloca a público os mais esperados documentos do acervo Canuto de Abreu

Mais de 2 mil visualizações comprovam que o evento era de fato ansiosamente aguardado. Agora, todos poderão ver, estudar e analisar documentos originais do fundador do espiritismo.

 

Uma parceria entre o CDOR, Centro de Documentação e Obras Raras da Fundação Espírita André Luís (CEAL) e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) coloca a público o acervo importante cuidado e conservado por Canuto de Abreu, que contém documentos e cartas de Allan Kardec e do próprio Canuto.

Trata-se de um evento, ocorrido hoje, 1º de setembro de 2020, que deve ser visto pelos meios espíritas e acadêmicos como dos mais destacados das últimas décadas, não só pelo tempo de espera, mas também pela sua repercussão e influência nos estudos do nascimento, desenvolvimento e expansão da doutrina originada pelo empenho de Allan Kardec. (mais…)

Que mudança de fato muda?

Espalha-se, como se fosse um vírus da moralidade, a versão de que a sociedade mundial não será mais a mesma após a pandemia devastadora instalada. As fraturas do existencialismo estão expostas.

O #fiqueemcasa simboliza de modo indicativo o panorama social dos dias presentes e faz com que as pessoas se vejam diante de algo inusitado: o modus solidão em que se agitam e a convivência familiar em tempo integral, os dois polos de uma mesma situação, cujo pano de fundo é impedir que o covid-19 exploda numericamente e leve de arrasto o precário sistema hospitalar.

Uma das condições deste novo estado de coisas, à parte todas as questões médico-sanitárias previstas e previsíveis, é que a população se vê diante de um estado de coisas tal que, queira ou não, impõe reflexões que desencadearão mudanças. Daí o dizer que a sociedade não será mais (mais…)

Centro de Pesquisa e Documentação Espírita (CPDoc) tem nova diretoria

Em eleições realizadas no dia 14 de março, o CPDoc, um dos mais antigos e tradicionais centros de estudos do Espiritismo no Estado de São Paulo, elegeu os novos componentes de sua diretoria e conselho fiscal para o biênio 2020-2022.

Wilson Garcia
Luciana Nunes
Magda Zago

Com mais de 30 anos de existência o Centro de Pesquisa e Documentação Espírita – CPDOC iniciou suas atividades em 1988, fruto do sonho de jovens espíritas interessados na inserção da crítica coletiva como prática estimuladora ao aperfeiçoamento dos trabalhos produzidos pelos integrantes do grupo.

Com reuniões trimestrais e funcionando de forma descentralizada, o CPDoc não possui sede fixa, mas seus membros associados possuem intenso fluxo de comunicação e discussão de temas, propostas e trabalhos relacionados ao Espiritismo e os diversos campos do conhecimento.

Os trabalhos são submetidos de forma espontânea pelos interessados e sua apreciação é feita no formato de banca. Os associados e convidados inscritos, também espontaneamente (sem número limitado), debatem com o autor e apresentam seus pareceres e sugestões em relação à forma e conteúdo oferecido, deixando a cargo do autor o acolhimento ou não das contribuições oferecidas.

A diretoria eleita para o próximo biênio tem na presidência Wilson Garcia (São Paulo) e secretária e tesoureira, respectivamente, Luciana B. da Cruz Nunes (Santos) e Magda Selvera Zago (São Paulo). O conselho fiscal (reeleito) está constituído por Alcione Moreira (São Paulo), Saulo Albach (Curitiba) e Jailson Lima de Mendonça (Santos).

Maiores informações sobre o CPDoc estão disponíveis pelo endereço: https://www.cpdocespirita.com.br.

Zé Arigó chega aos cinemas

Estava eu em um taxi na avenida Prestes Maia, na altura do Mercado Central de São Paulo, quando, subitamente, o rádio do carro faz uma pausa na música e anuncia o falecimento do médium mineiro Zé Arigó, vítima de um acidente automobilístico próximo de Congonhas do Campo, onde nasceu e residia. A surpresa, o susto ficaram gravados na memória. Recém-espírita, ouvia pelos corredores da Federação conversas sobre as curas mediúnicas do médium, mas não possuía ainda noção clara dos fenômenos de que era ele protagonista.

A notícia correu rápida e logo todo o país tomava contato do ocorrido As histórias se multiplicaram, do fantástico ao milagre, da aceitação e da condenação, da acusação à suspeita. A compreensão da mediunidade de cura, desafio dos pesquisadores e estudiosos, surgia trêmula num cenário de suspeitas e deslumbramento. O tempo passou em sua duração permanente, mudando cenários, mas não a realidade em relação à cura mediúnica de que Zé Arigó é o maior expoente ainda hoje, depois de 49 anos de seu desaparecimento físico. (mais…)

Os livros dos Espíritos

Livro-pesquisa de Luís Lira, publicado pela Editora EME com apoio do CPDoc e do CCDPE, terá semana de lançamentos em São Paulo.

Uma pesquisa original motivada pelas alterações nas primeiras 16 edições do livro básico do Espiritismo, alterações feitas diretamente por Allan Kardec ainda encarnado, levou o estudioso espírita Luís Jorge de Lira Neto a escrever sua primeira obra intitulada Os livros dos Espíritos. Trata-se de um trabalho que não apenas demonstra como Kardec agiu desde a edição inicial, especialmente com as modificações e ampliações introduzidas já na segunda edição, quando O livro dos Espíritos praticamente dobrou sua quantidade de questões, mas mostra, também, aprimoramentos posteriores e com isso facilita grandemente os interessados, curiosos e estudantes, na compreensão dos fatos.

O autor apresentou seu estudo, de modo resumido, no Encontro da Liga dos Historiadores e Pesquisadores Espíritas ocorrido em agosto de 2019 em Fortaleza, Ceará, bem como o discutiu amplamente em apresentação no Centro de Pesquisas e Documentação Espírita (CPDoc), em Santos, onde colheu subsídios e sugestões que o levaram a dar o texto definitivo ao livro.

O lançamento oficial do livro está marcado para o período de 9 a 14 de março de 2020 e será feito em três cidades paulistas: na Capital, em Campinas e em Santos. O programa elaborado em conjunto pela CEPA e o CPDoc, começa na segunda-feira, dia 9, no Centro de Estudos e Desenvolvimento Espiritual Os Caminheiros da Luz, Rua Conde Prates nº 368, Parque da Moóca, São Paulo/SP. Na twrça-feira, 10, e evento acontece no Grupo Espírita Manoel Bento, Rua Alfredo Pujol nº 79, Santana, São Paulo/SP. Na quarta-feira, 11, o local será o Grupo Espírita Casa do Caminho, Av. Francisco José de Camargo Andrade nº 945, Jardim Chapadão, Campinas/SP. Na quinta-feira, 12, ele estará de volta à capital paulista, no Centro de Estudos Espíritas José Herculano Pires, Rua Alicante nº 389, Vila Granada, São Paulo, SP. Na sexta-feira, 13, o autor vai ao litoral paulista para o lançamento no Centro Espírita Allan Kardec, Rua Rio de Janeiro nº 31, Vila Belmiro, Santos/SP. Finalmente, no sábado, dia 14, o lançamento ocorrerá no Centro Espírita Nova Era, Rua Martim Afonso nº 78, Belenzinho, São Paulo/SP. O evento de encerramento ocorrerá à tarde, às 16h. Todos os demais serão às 20h.

O livro encontra-se à venda nas livrarias espíritas ou pelo site da Editora EME. Os direitos autoriais foram doados ao Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa Espírita Eduardo Monteiro de Carvalho (CCDPE-ECM) e ao Centro de Pesquisa e Documentação Espírita (CPDoc).