AGENDA

Novo lançamento!

Novo lançamento!

Wilson Garcia lança livro na Fliporto

Pelo 4º ano consecutivo, o Clube do Livro Espírita (do Centro Espírita Luz da Verdade) participará da Feira do Livro que acontece no âmbito da FLIPORTO – Festa Literária Internacional de Pernambuco, que acontecerá de 13 a 16 de novembro de 2014, na Praça do Carmo, Olinda-PE.

O escritor Wilson Garcia estará autografando seus livros na Fliporto, no dia 14, sexta-feira, às 18 horas, ocasião em que fará o lançamento do seu mais novo título: Os espíritos falam. Você ouve?

O livro realiza um estudo inédito da teoria da comunicação mediúnica tendo como referência as ciências da comunicação e os estudos da Allan Kardec sobre a mediunidade.

Os espíritos falam. Você ouve?, novo livro de Wilson Garcia

Texto: Voice Comunicação Institucional (Voice Social)

AUTOR DE MAIS DE 30 LIVROS, JORNALISTA WILSON GARCIA PARTICIPA DE  ENCERRAMENTO DAS COMEMORAÇÕES DE 100 ANOS DE HERCULANO PIRES, FAZ PALESTRAS E LANÇA “OS ESPÍRITOS FALAM. VOCÊ OUVE?”  EM PROGRAMA NA CAPITAL E POR TRÊS CIDADES DO INTERIOR DE CapaSÃO PAULO

O jornalista e escritor Wilson Garcia, autor de mais de 30 obras espíritas, residente em Recife, chega a São Paulo na 6ª. feira, dia 19 de setembro, para um programa de entrevistas, palestras e lançamentos de livros na Capital e Interior –  em Capivari, Indaiatuba e Piracicaba.

Encerramento das Comemorações de 100 anos de Herculano Pires em SP

A agenda de Garcia, reconhecido nacionalmente por suas obras e palestras de temáticas espíritas, começa no sábado com o Simpósio de encerramento das Comemorações dos 100 anos de Herculano Pires. Wilson é um dos principais divulgadores do pensamento de Herculano Pires, considerado o mais importante tradutor, para o português, da obra de Allan Kardec, o codificador do Espiritismo. Pires foi presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo e faleceu em 1979, aos 64 anos, deixando uma extensa obra inédita que foi paulatinamente publicada por sua mulher Virgínia, administradora de seu legado até sua morte. Wilson participou da intensa programação das comemorações que durou um ano – a Fundação Maria Virgínia e J. Herculano Pires, responsável pela preservação da memória do casal, criada e mantida pelos filhos, e que detém todos os direitos de sua obra, coordenou todo o Ano do Centenário de Herculano Pires – iniciado em setembro passado e que contou, neste período com a realização de 25 encontros quinzenais em que, a cada edição, um estudioso de sua obra apresentava palestra sobre seus livros nas diversas categorias de seu trabalho – literário, jornalístico, filosófico, poético e doutrinário.  Wilson abordou durante as comemorações o tema “O Vampirismo em Herculano Pires” e agora retorna no simpósio para encerrar o programa sobre Herculano Pires, o Jornalista.

Todas as palestras do Centenário de J. Herculano Pires podem ser conferidas e assistidas no site da Fundação: http://www.herculanopires100anos.com.br/encontros

Entrevista na Rede Boa Nova

Na 2ª. feira, dia 22, Wilson Garcia, grava entrevista pela manhã, na Rede Boa Nova, emissora caracterizada pela programação espírita e que é mantida pelas Casas André Luiz. O programa vai ao ar na quarta-feira, às 11h00 da manhã e pode ser acompanhado pela Rádio Boa Nova, AM 1450 Kz, Guarulhos, e pela TV Mundo Maior, via parabólica pelo satélite Star One C2, com sinal digital, ou pela internet: http://tvmundomaior.com.br/

Pré-lançamentos de “Os Espíritos Falam. Você Ouve?”

marcam agenda do Interior

Após a entrevista, Wilson inicia sua programação non Interior de São Paulo viaja para Capivari, onde, no mesmo dia, às 20 horas realiza palestra no C.E. Mensagem de Esperança, Av. Brigadeiro Faria Lima, 1080, Capivari. Na ocasião, Garcia faz agenda de pré lançamento do seu novo livro “Os Espíritos Falam. Você Ouve?”, pela Editora EME.

No dia seguinte, 3ª.feira, 23, às 20h, o mesmo programa – palestra + pré-lançamento – será em Indaiatuba, no C.E. Padre Zabeu Kaufman, Rua 13 de Maio, 1054, Indaiatuba. E na 4ª. feira, 24, 20 horas, o programa termina na União Espírita de Piracicaba, Rua Regente Feijó, 933, Piracicaba.

O lançamento nacional do novo livro de Wilson Garcia, no circuito comercial de livrarias, acontece ainda em setembro e começa por Recife, passando por São Paulo. Depois o autor segue para roadshow pelo País que já tem, entre outras agendas, confirmação de lançamento em  Recife, na capital pernambucana, onde o autor fará uma agenda de simpósios e palestras sobre o conteúdo da nova obra.

“Com agenda fechada de simpósio e palestras em São Paulo e Interior, antes do lançamento no circuito de livrarias não espíritas, decidimos, aproveitar a visita a estas cidades e apresentar a nova obra para o público espírita que sempre nos acompanha”, disse Garcia explicando o programa de pré-lançamentos. E acrescenta: “o primeiro pré-lançamento ocorreu em Porto Alegre, nos dias 5-7 de setembro, durante do VI Simpósio do Livre-Pensar, promovido pela CepaAmigos e realizado na sede do CCEPA, Centro de Cultura Espírita de Porto Alegre. A seguir, apresentamos o livro na cidade de Belo Jardim, interior de Pernambuco, no dia 14 de setembro, durante a apresentação que fizemos do seminário sobre Drogas e Espiritismo”.

Livro tem proposta ousada

Com 176 páginas e subtítulo “Uma proposta teórica para o processo de comunicação mediúnica”, o livro tem uma proposta ousada de abordagem do fenômeno mediúnico, promovendo um link entre as diversas teorias da comunicação social e a comunicação mediúnica, pela qual os entes invisíveis dialogam com os seres humanos. Garcia é formado em  jornalismo e é mestre em comunicação social pela Cásper Libero. No livro, as idéias e propostas de autores como Santaella, Joly, Aumont, Hall, DeFleur, Fidalgo e Bakhtin, teóricos da comunicação e de disciplinas afins, são confrontadas pelo autor com teses sobre comunicação presentes em textos fundadores do Espiritismo, produzidos por Allan Kardec. “Fizemos um esforço de interpretação e correlacionamento, com o objetivo de fundir os elementos teóricos das ciências da comunicação com o processo da comunicação mediúnica.”, explica Garcia.

Sobre o Autor

Wilson Garcia, 65 anos, é casado e pai de 4 filhos. Reside em Recife aonde, como professor de jronalismo e comunicação, após período dedicado às aulas na universidade, dedica-se exclusivamente a produção de obras espíritas. Garcia é autor de mais de 30 livros sobre os mais diversos aspectos do Espiritismo, desde a organização de centros espíritas e processos mediúnicos até estudos e reflexões sobre intelectuais da matéria. É um dos principais estudiosos de Herculano Pires, a quem admira desde os 16 anos de idade, quando leu pela primeira vez o livro “Barrabás, o enjeitado”. A convivência com as ideias de Herculano Pires aprofundou-se durante o período em que dirigiu jornais e editoras espíritas, já domiciliado na capital paulista. Sobre Pires escreveu o livro “Kardec é Razão”, que está com a segunda edição, totalmente revista e atualizada, à venda pela Editora EME, Editora USE (São Paulo) e Editora Paideia.

Lançamento em Recife começa no dia 28 de setembro

Ainda em regime de pré-lançamento, o livro “Os espíritos falam. Você ouve?” será apresentado aos participantes do seminário, que tem o mesmo título do livro, a realizar-se no próximo dia 28 de setembro, a partir das 9 horas da manhã, na Fraternidade Espírita Francisco Peixoto Lins (Peixotinho), rua Sansão Ribeiro, 59, em Boa Viagem, com entrada franca.

Além do lançamento oficial em Recife e São Paulo, em fase de agendamento, já estão programados eventos em João Pessoa, Paraíba, e São Luís, Maranhã para o mesmo fim.

Ribeirão Preto, 1928

Capa A religião no larVoltar ao passado pode ser questão de necessidade, de curiosidade ou mera bisbilhotice. Quando é preciso esclarecer fatos obscuros, necessidade; quando se deseja saber como os fatos se deram, curiosidade; quando o interesse é de apenas desvendar intimidades, bisbilhotice. Uma palestra de Vinicius de 1928 é um documento bastante interessante para quem tem necessidade ou curiosidade de olhar o passado, mas não é, certamente, bom para quem quer apenas bisbilhotar. Leia o texto por inteiro e descubra aqui.

Duas obras e um centenário

Dentro da programação do Centenário de J. Herculano Pires, conduzida pela Fundação Maria Virgínia e J. Herculano Pires, duas obras acabam de entrar em circulação: 365 momentos espirituais com J. Herculano Pires e Kardec é Razão. As duas obras são assinadas por Wilson Garcia.

365_momentos_esp_524c18708e0e8A primeira delas é uma agenda permanente contendo pensamentos de Herculano Pires, selecionados em grande parte de seus livros com abordagem de variados assuntos. Ou seja, uma agenda para todos os dias do ano. Em cada um desses dias você pode desfrutar de uma pérola literária e espiritual de um dos maiores pensadores espíritas brasileiros. Ter em mãos essa AGENDA PERMANENTE é uma forma de começar e terminar bem o dia. Cada frase, cada palavra, cada ideia possibilita refletir sobre si e sobre a vida, de modo a afirmar o primado do espírito, com todo o otimismo que o cotidiano solicita e agradece.

A segunda obra é uma reedição do livro lançado em 1998, agora totalmente revisto e Kardec____raz__o_52bc64c91b8f3atualizado pelo autor, em que é realizado um estudo livre do pensamento de Herculano Pires a partir de uma seleção criteriosa de textos e temas. Na contracapa do livro, pode-se ler esta interessante interrogação feita pelo conhecido escritor Mario Graciotti: “De que distâncias, de que regiões, de que épocas virá esse espírito, que se instalou na engrenagem somática de um dos mais curiosos fenômenos intelectuais do Brasil nascente, o poeta, o jornalista, o escritor, filósofo Herculano Pires?”

As obras encontram-se disponíveis no seguinte endereço:

http://editoraeme.com.br/livros/365herculanopires/pgxso-product-details/prx-427/ctx-2.html e

http://editoraeme.com.br/shop/pgxso-product-details/prx-435/ctx-10.html

O prazer do escritor é a obra

Caros amigos.

Dizem que a velhice só é percebida quando os amigos mais próximos começam a morrer. Verdade ou não, o fato é que muitos amigos começaram a partir antes mesmo que eu percebesse qualquer alteração do tempo em minha existência. Pelo contrário, muito cedo me habituei à morte, a começar por meu pai quando era ainda criança.

Nem mesmo o estímulo ao emprego do termo desencarnação e suas variações, em lugar da palavra morte, alterou os sentimentos e as sensações que cada partida provocava em mim.

Foram-se muitos.

Amigos, parentes, familiares, numa história de vida que nada tem de atrativa ou singular. É o que ocorre normalmente com a maioria dos seres humanos, penso eu.

A singularidade de tudo está no fato de que, mais recentemente, o número de amigos que resolveram demandar outras plagas impalpáveis aumentou[1]. E cada um deles provocou um tipo de sensação diferente.

Entre estes está Jorge Rizzini.

De todos com quem convivi, Rizzini foi o amigo de maior duração, longa, diria, daí porque a notícia de sua partida ter despertado intensa agitação mnemônica. Retornei lá, no início de tudo, 1976. Percorri cada trecho da estrada percorrida, de novo. Sabe aquele filme que dizem passar na mente nos momentos finais dessa existência, tão bem registrado por Ernesto Bozzano em “A crise da morte”? Vi-o, mesmo não desejando ou não o impondo-me.

É claro que comecei a gostar na medida em que as sensações retornavam e com elas aquele sentimento de que “era feliz e não sabia”. Então, passei a acionar eu mesmo a memória quando o filme se aligeirava, saltando etapas, ou quando sentia necessidade de reviver mais demoradamente determinados fatos e apertava o slow motion.

O frenesi da memória impôs outro estado de êxtase: o da escritura, o que já se tornou vício. Mas isso é também comum aos indivíduos dotados do gene da grafia, que tudo querem registrar porque tudo pensam importar e lá no fundo sabem padecer de uma espécie de etnografocentrismo, doença esta que nem a morte parece curar…

O resultado é o livro que ora disponibilizo ao leitor interessado ou curioso. Depois de superar a fase da consciência dividida entre o prazer de escrever e o possível valor dos fatos narrados, posso dizer que o estudioso vai encontrar aqui material que lhe pode ser útil. Senão, vejamos.

LANCES BIOGRÁFICOS

A vida de Jorge Rizzini não está registrada por inteiro nem pela metade, apenas por lances que se impuseram ao longo da narrativa. Quis eu mostrar o amigo com quem caminhei e porque era ele portador de uma imagem pública, foi preciso fazer anotações que esclarecessem um olhar, o meu. Pode ser, é possível, que esclareça também o seu olhar. Resultado: evitei os arquivos do amigo, que a família detém, mas utilizei outro arquivo, o meu. Por isso, em lugar de biografia escrevi biolembranças, perdendo em amplitude, em dimensão da personalidade e ganhando, penso eu, em intimidade e liberdade aventureira.

INTERESSE PÚBLICO

O tempo de Rizzini não foi vão nem destituído de valor, pelo contrário, viveu e foi co-construtor ativo de um período marcante e marcado, um período histórico que cada vez mais se clarifica em suas linhas principais e põe à mostra uma realidade muito interessante.

Aquele tempo ainda é, em parte, este tempo em trânsito, que passa, talvez pela presença de alguns personagens que ainda se mantêm no cenário social. Mas é mais “aquele tempo” marcado por pensadores já ausentes e idéias não mais dominantes.

Entre os fatos mais destacados vividos por Rizzini pode-se citar: o pensamento de Herculano Pires, as famosas materializações de Uberaba com Chico Xavier envolvido, a trajetória mediúnica de Zé Arigó e Edson Queiroz, os embates com Oscar Gonzales Quevedo, a direção do programa televisivo “Em busca da verdade”, a disputa pelo evangelho kardequiano, as produções psicográficas – a musical e a poética – e a produção literária de repercussão nacional.

PERSONALIDADES

Alguns daqueles que conviveram intensa ou razoavelmente com Rizzini continuam hoje no cenário terreno, como é o caso de Divaldo Pereira Franco, Luciano dos Anjos e Nazareno Tourinho. Outros, com igual presença na constelação, já se foram, como Herculano Pires, Deolindo Amorim, Chico Xavier e Zé Arigó, Wantuil de Freitas, Julio Abreu Filho e Edgard Armond, e tantos outros.

De um modo ou outro, estão presentes no livro em acontecimentos históricos de repercussão, às vezes extrapolando as fronteiras do país.

LEITURA E DOWNLOAD

Você pode ler o livro e também copiá-lo livremente para os seus arquivos. Para tanto, clique num dos links a seguir.

http://www.readoz.com/publication?i=1026116

http://www.scribd.com/doc/31670469/Muito-alem-das-sombras

ISBN – 978-85-7353-439-9

Grande abraço.

[1] Onze desses amigos têm sua trajetória registrada no meu livro “Vidas, memórias e amizades”, Editora EME.